Surto de dengue: Casos aumentam 1000% e Minas decreta situação de emergência

Surto de dengue: Casos aumentam 1000% e Minas decreta situação de emergênciaO Governo de Minas decretou situação de emergência por conta do aumento do número de casos de dengue no Estado. A medida foi assinada pelo governador Romeu Zema (Novo) e publicada no Diário Oficial nesta terça-feira (23).

De acordo com o decreto, a medida visa aumentar a agilidade na busca de recursos para combater o Aedes aegypti no Estado e estruturação de serviços de atendimento às pessoas infectadas pela doença.

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES) também destinou R$ 4,1 milhões para municípios de Minas reforçarem o combate ao mosquito. Neste primeiro momento, 93 cidades com alta incidência de dengue receberão os recursos. A próxima resolução da SES deverá contemplar 46 municípios, no montante de R$ 1,8 milhão.

1000% de aumento

Segundo o Boletim Epidemiológico da secretaria, até a segunda-feira (22), 140,7 mil casos prováveis de dengue foram registrados em Minas – incluindo os suspeitos e os confirmados -, em 2019.

No ano passado, neste mesmo recorte, o número era de 14,7 mil casos. Um aumento de 1000% no se compararmos os períodos.

Em 2019, 14 óbitos já foram confirmados por conta da doença e 57 mortes seguem em investigação. Em 2018, o número era de três mortes confirmadas e nove em investigação.

Em relação à Febre Chikungunya, Minas Gerais registrou 1.301 casos prováveis da doença em 2019. Até o momento, não houve registro de óbitos suspeitos da doença.

Já em relação à Zika, foram registrados 497 casos prováveis da doença em 2019, até a data de atualização do boletim.

Belo Horizonte

Em Belo Horizontes, até o momento, foram confirmados 4,1 mil casos de dengue. Há ainda 14,2 mil casos pendentes de resultados. Além da dengue, 103 casos de chikungunya, foram confirmados na capital e, ainda, há 91 casos em investigação para a doença.

Em relação ao vírus Zika, foram notificados 55 casos em Belo Horizonte, contudo, ainda não há nenhuma confirmação, já que 32 casos foram descartados e 23 permanecem em investigação.

Fonte: Fiocruz

 

 

Deixe uma resposta